Pesquisar este blog

domingo, 3 de abril de 2011

ESTILO DE DECORAÇÃO

ESTILOS DE MOBILIÁRIO E DECORAÇÃO

O estilo de mobiliário apresenta tendências diversificadas. Algumas evocam e reproduzem o passado, outras se identificam com temas específicos e reproduzem ambientes temáticos.
Certas tendências buscam inspiração em outras culturas. Temos também o estilo integrado à natureza. O estilo moderno contemporâneo apresenta uma maior leveza visual.
Na hora de decorar é bom conhecer um pouco sobre a história do mobiliário. Muitas peças apresentadas com uma releitura dão um ar de sofisticação ao ambiente.

ESTILO PROVENÇAL:

O estilo Provençal, advindo do savoir-faire, mobiliário romântico que veio da França no século XVII, móveis com estrutura leves e delicadas que trocam o luxo pela sofisticação sem excessos, que nos dias de hoje tornaram-se objetos de luxo. Pátinas especiais e estêncil tomaram o lugar das folhações douradas. Tramas de palhas substituíram o glamour das forrações luxuosas da corte.
O estilo marcou a região francesa séculos atrás e tinha como pré-requisito o conforto. Na Provence, região ao sul da França, cada peça tem sua história. Como o luxo da corte era inacessível aos moradores do campo, eles fizeram uma releitura do mobiliário que chegava no porto de Marseille, sul da França.
Na época, os nobres franceses passavam suas férias no campo e durante a temporada se desfaziam de seus móveis e objetos velhos. Assim, o mobiliário era recuperado pelos camponeses. O artesanal, o rústico e os tecidos naturais marcam esse estilo romântico e delicado.


ESTILO GUSTAVIANO:

Inspirado no neoclássico Francês, o estilo traduz os desejos de um jovem rei, Gustavo III, de recriar o brilho dos salões de Versalhes na sua corte sueca. O trabalho foi realizado por decoradores e artesãos, adaptando materiais às condições financeiras e climáticas da Suécia do século XVIII. Assim surgiu o refinado e agradável estilo Gustaviano, empregando madeiras maciças, esculpidas e douradas, panos de linho decorados com arabescos florais, gregos ou simples filetes, tecidos de algodão listrado, estuques leitosos, piso de madeira nua. As cores que marcam este estilo são o azul celeste e o rosa pálido. Elegante e despojado, este ambiente reproduz as cores claras, na madeira e nos tecidos de algodão, e as formas confortáveis do gustaviano. Garantia de leveza e neutralidade que não deixa de atrair adeptos.   




ESTILO CLÁSSICO:

Os móveis clássicos são produzidos artesanalmente e são fiéis aos móveis do passado. Alguns são produzidos em madeira maciça e tem detalhes em bronze dourado. Normalmente os móveis clássicos ostentam linhas arredondadas. Sofás e poltronas tem almofadas soltas e volumosas.


ESTILO CLÁSSICO MODERNO:

O estilo Art Déco criado por arquitetos e designers da primeira metade do século XX é um exemplo de clássico moderno.
Os maiores expoentes do clássico moderno são os designers Charles Eames, Ray Eames, Eero Saarinen, Verner Panton, Pierre Paulin, Arne Jacobsen, Jorge Ferrari, Ludwig Mies van der Rohe, Harry Bertoia, Peter Ghyczy, Pietro Arosio, Lê Corbusier, Eero Aarnio, Eileen Gray, Vladimir Kagan, George Nelson, Florence Knoll, Antoni Boneti, Marcel Breuer.
Nos anos 50, o mobiliário ganha formas orgânicas. Designers como José Zanine Caldas, Lina Bo Bardi e Joaquim Tenreiro utilizam couro, lonita, palhinha e madeira. Um símbolo forte do mobiliário da época é o pé palito, o qual valoriza o corpo do móvel ao sustentá-lo com leveza. Os contornos são suaves e os tons sóbrios.
Os anos 60 são revolucionários no comportamento, na decoração, na música, na moda. É a década da conquista do espaço sideral. Novas cores e formas sinuosas são lançadas. Criações irreverentes surgem, é o início do consumismo. Designers como Verner Panton e Vico Magistretti criam móveis de plástico com cores atraentes. Ficção científica e psicodelismo inspiram o modo de viver. Os pufes deixam as pessoas a vontade.
Nos anos 70 o surgimento da alta tecnologia se traduz em móveis de acrílico translúcido, plástico de cores vibrantes e metais brilhantes. Peças modulares tornam-se um sucesso. No final da década, a decoração apresenta aspectos tecnológicos.

ESTILO ART NOUVEAU:

Este estilo, também conhecido como liberty e jugendistil, surgiu com o inglês Willians Morris, que deu início ao movimento arts and crafts (arte e ofício). As peças eram produzidas em ferro, aço, vidro, e madeira; de espessuras finas. Nos móveis, entalhes, linhas assimétricas e sinuosas, inspiradas nas formas da natureza, e incrustações. Como motivos prevalecem as flores, como o lírio e a tulipa e as borboletas. Desse período vêm os cristais do francês René Lalique, com flores, libélulas e formas femininas.

ESTILO COUNTRY:

O mobiliário desta tendência é marcado por linhas mais sinuosas e pelo bom acabamento da madeira. Acompanha o estilo de móveis do passado (country inglês, americano), estofado ou não. O revestimento pode ser em tecido xadrez ou estamparia delicada e miúda. O piso pode ser em madeira ou cerâmica. Na parede pode-se usar lambris de madeira ou pintura comum. Pelas em bronze, cobre, madeira pintada, gravuras far West, ferro, plantas desidratadas, naturais ou artificiais, luminárias e tapeçaria rústicas compõem este ambiente.


ESTILO SHABBY-CHIC:

SHABBY do inglês “gasto”, “surrado”, mas este estilo não tem nada de pobre, pois une simplicidade e conforto com materiais e objetos rústicos. Essa tendência surgiu nos Estados Unidos, derivado do estilo country do americano ser. As principais características deste estilo são as paredes descascadas, objetos envelhecidos ou antigos, capas nos estofados e cadeiras, além da pátina especial, descascando os móveis e objetos.



 ESTILO RÚSTICO CAMPESTRE:

Móveis envelhecidos artificialmente, patinados, com furos, raspados. Lembram o estilo de vida campestre de um passado não muito distante.


ESTILO ÉTNICO:

Móveis inspirados em outros povos, com traços culturais destes. As culturas mais representadas são de países do Extremo Oriente como Indonésia, Tailândia, Nepal, Tibete, China, Japão, Índia e também do México. Os povos destes países abusam da cor, dos detalhes, do requinte.



ESTILO MODERNO CONTEMPORÂNEO:

Este estilo, com todas as suas tendências oferece móveis para todo tipo de ambiente, em residências, imóveis comerciais e escritórios. A tecnologia empregada é sempre ressaltada. O visual é sempre leve, com a mínima complexidade, com pouco material, valorizando textura e acabamento. São empregados novos materiais e tecnologias como fibra de carbono, poliuretano expandido e vidros de diversas cores e espessuras. São reproduzidas idéias realmente inovadoras que extraem as máximas possibilidades dos materiais.
 Em muitas casas contemporâneas, as separações entre ambientes são mais fluidas e discretas, a circulação é mais livre. A maioria dos móveis apresenta linhas retas, mas, muitos arquitetos e designers de interiores mesclam em um mesmo ambiente móveis contemporâneos retilíneos com alguns móveis antigos para dar às peças do passado um uso atual.
 No estilo moderno contemporâneo, alguns móveis apresentam um toque irreverente, são fabricados em plásticos coloridos e são destinados à infância e à juventude.
Outra vertente do estilo moderno mostra móveis produzidos com materiais inusitados como mangueiras, fiapos de tecido, os quais demandam muita mão de obra na produção. Os designers mais representativos desta tendência são os irmãos Campana.
 Para o século XXI, a tendência é buscar mais conforto e bem estar. São usados grandes painéis de vidro para aproveitar ao máximo a luz natural e aproximar os moradores da natureza. O pé direito alto dá uma sensação de amplidão e liberdade. Na decoração são usados tanto a tecnologia de ponta quanto o rústico. As poltronas são projetadas com formas ergonômicas de última geração. O conforto é tal que sentar-se nelas é um prazer. A casa moderna proporciona aos moradores as sensações mais agradáveis possíveis.
ESTILO ECOLÓGICO NATURAL:

Móveis de madeira natural com acabamentos como cera e óleos perfumados. Outros são de metal enferrujado. A produção é toda artesanal. É um estilo que sugere uma vida mais próxima à natureza, é avesso a modismos.




ESTILO FASHION:

Segue as mudanças e tendências da moda, procura estar na vanguarda. Um móvel fashion será descartável em dois anos. Os preços são altíssimos, não condizem com a qualidade mediana. É a grife do mobiliário.




ESTILO ECLÉTICO:

Mescla estilos e materiais, com elegância e sofisticação.




2 comentários:

  1. Gostaria que conhece-se meu Ateliê de Moveis feitos a mão,produção Artesanal Limitada Artificie Américo Neves 44 tradição,visite nosso Ateliê.

    www.americonevescadeiras.com.br Nacional
    www.americoneves.com
    www.blog-decoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir