Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de julho de 2015

A escolha do terreno.

A escolha do terreno tem que ser muito bem pensado.
Vai além da localização e vizinhança.
É preciso atentar para o perfil do terreno, insolação, drenagem de água, etc e tal.
Quando mudamos para Araçatuba, meu marido locou um apartamento em um bairro indicado. Não era um local ruim, mas para logística da minha casa não funcionava.
Há 2 anos nos mudamos para uma casa no bairro que desejávamos morar. A partir daí começou a "via sacra" atrás de terreno.
Antes de tomarmos a decisão da compra do terreno, procuramos algumas casas prontas para a compra.
Olhamos diversos imóveis, nenhum deles teve a ver com nosso perfil. Casas precisando de muita reforma, localização que não nos agradava e sem falar dos preços exorbitantes.
Os corretores, de modo geral, parece que não compreendem o desejo do cliente. Até hoje não consegui compreendê-los.
Enfim, como nós tínhamos definido o bairro e já estávamos morando nele, o jeito foi colocar um sapato bem confortável e "pernas pra que te quero".
Andamos em todas as ruas, procurando placas de vende-se. Até que achamos um que nos agradou em todos os aspectos: localização, tamanho, preço. Perfeito.
Próxima etapa: escolha da forma construtiva!

Lar doce lar! Às vezes não tão doce assim...

Olá queridos, depois de um longo e eterno verão voltei.

Após 5 anos morando na cidade de Araçatuba/SP resolvemos construir a nossa casa.
Ano passado compramos o terreno e iniciei o projeto.
Um ano desenvolvendo o projeto (ôh, loko! tudo isso, como?).
Quando falamos em desenvolvimento de projeto pensamos apenas no desenho no papel. Isso é rápido e simples!
O meu cérebro está formatado (essa foi boa!) para projetar para clientes. Traduzir seus sonhos, ideias, a logística da família, frustrações com experiências anteriores, etc.
Quando o projeto é seu, se torna um pouco mais complexo. O envolvimento emocional com algo que ainda é abstrato, muitas vezes atrapalha. O desgaste, a cobrança, a frustração são maiores.
A obra está em andamento desde fevereiro de 2015. Faz um tempinho.
A partir de hoje irei compartilhar com vocês a minha experiência de construir o meu primeiro "Lar doce lar".

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Receba bem seus hóspedes

Nesta época de final de ano e férias sempre aproveitamos para fazer as visitas que estamos devendo. Receber o convidado com carinho e reservar um espaço onde ele possa ficar à vontade é a melhor maneira de fazê-lo se sentir em casa.
Receber é uma arte. E ser um bom hóspede também. Mas a chegada de um hóspede em casa pode tumultuar o seu cotidiano. O que fazer? Quais são os erros mais comuns? E como transformar a estadia de seu amigo em um momento especial?  O mais importante é demonstrar carinho que são os passeios, boas refeições e muito bate-papo!
 Decore a casa com flores, preste atenção na arrumação e na iluminação do ambiente.


Algumas dicas interessantes:

1 - Se quarto for espaçoso, reserve uma confortável chaise para momentos de relax – que pode servir também para acomodar um segundo hóspede. 
2 - Para garantir o conforto do convidado na hora de ele escolher a roupa, um espelho de proporções amplas é fundamental.
3 – Além do espelho, deixe à mão um secador de cabelo, um discreto cestinho com analgésico e balinhas de menta, além de uma vela perfumada. Chinelos macios e um tapete gostoso ao lado da cama também são um jeito simpático de mostrar o quanto você deseja o bem-estar da visita.

4 – Outra idéia é manter uma bandeja à vista caso o hóspede deseje buscar água ou frutas na cozinha. Assim ele irá se sentir mais à vontade quando quiser se recolher no quarto.
5 – Vejas as proporções da cama, que não pode ser curta nem estreita demais. Colchões de inflar sempre são melhores opções que sofás, futons finos ou sacos de dormir. E ofereça travesseiros confortáveis. Esses cuidados são essenciais para garantir uma boa noite de sono.

6 - Luminária de cabeceira é outra maneira agradável de mimar a visita. Luz indireta aquece o espaço e, de quebra, a pessoa não precisa levantar da cama na hora de desligar a lâmpada.
7 – Uma forma esperta de manter o clima agradável é deixar claro as regras da casa (Boas regras de convivências estabelecidas, amizades para sempre!)– se é permitido ou não fumar, ouvir som alto, se o hóspede deve arrumar a própria cama, onde colocar toalhas molhadas, se pode ou não entrar usando sapatos, e há horários, como os das refeições, que você gostaria que fossem atendidos. Também o avise se algum utensílio estiver funcionando mal. Evitar armadilhas para ele é o único jeito de fugir de situações constrangedoras. Mostre onde estão as coisas, como funcionam os equipamentos básicos (TV, microondas, despertador, IPOD).

8 – Se há um único banheiro explique seu cotidiano, evitando “engarrafamentos” no banheiro e atrasos.




9 – E se não tem um quarto só para ele? O importante é criar espaços para que sejam deixadas as malas e algumas gavetas e prateleiras que você esvaziou especialmente para recebê-los. Aqui vale utilizar cestos e caixas que facilitam a organização das coisas. Crie uma alternativa para pendurar roupas e objetos pessoais, especialmente em ambientes sem móveis específicos para o hóspede. Não é necessário que você saia da sua cama para ceder ao seu convidado, a menos que haja razão de saúde para isso. 

 10 – Evite toda saia justa! Antes de ele arrumar as malas, avise se deve trazer modelo próprio para algum passeio que você esteja programando. E pergunte sobre suas preferências gastronômicas, se tem intolerância a algum alimento ou se segue alguma dieta especial.

11 – Quer encantar de fato seu convidado? Compre um robe macio, de tom claro, e coloque à disposição no banho.  Coloque no banheiro uma cestinha com fio dental, enxaguante bucal, creme hidratante, lenços umedecidos, cotonetes, farmacinha básica (com band AID, remédio pra dor de cabeça, cólica), bloquinho de anotações e caneta.

12 – Lembrete: nem todo mundo adora animais de estimação. Se você tem um bichinho em casa, certifique-se de que os sofás, as almofadas, os tapetes e o quarto de hóspedes estão livres de pelos e odores. Aproveite para borrifar um spray cheiroso pela casa.

Lembre-se: Pequenas atitudes carinhosas demonstram o quanto seus hospedes são especiais, portanto não economize nas gentilezas!!

domingo, 17 de abril de 2011

O que saber antes de comprar sua Tv de Plasma, LCD ou LED

Com tantos avanços na tecnologia sempre ficamos na dúvida se o equipamento eletrônico que estamos comprando vai demorar muito pra ficar obsoleto.
A dúvida aumenta mais quando se trata de televisores. Como existem muitas explicações técnicas sobre esses produtos ficamos ainda mais confusos. Qual a melhor tecnologia? Qual o tamanho ideal para o meu ambiente?
Pensando e passando por este momento, resolvi pesquisar um pouco sobre os televisores e compartilho com vocês as informações obtidas.

TV DE LED

O processo de transmissão das TVs de LED funciona praticamente como a de uma TV de LCD só que a tecnologia é um pouco diferente, ou seja, ao invés daquela luz branca no backlight,  nas TVs de LED você tem um conjuntos de LEDs com as cores primárias (vermelho, azul e verde) e faz com que o trabalho de filtragem de luz do cristal líquido seja muito melhor realizado, conseguindo cores mais puras e com uma gama muito maior. Essa tecnologia também faz com que a luz seja exatamente igual durante todo seu tempo de uso e não ocorra perda de brilho ou alteração de cor, independentemente de ter uma luz acesa ou não. O painel também possibilita uma melhor regulagem na intensidade da luz.
As telas das TVs de LED são muito mais brilhantes, com o contraste muito melhor e as cores muito mais vivas quando comparadas ao modelo das de LCD, ou seja, têm uma imagem muito melhor, pois são feitas com diodos em emissores de luz (LED). Essas TVs também podem ser bem mais finas do que as outras (já existem com apenas 3 cm de espessura).
Essas TVs atendem às normas Eco-friendly pois não necessitam de lâmpadas CCFLs e são completamente livres de mercúrio. Não utilizam chumbo pra fixação de componentes e faz com que o descarte e reciclagem das TVs possam ser feitos de forma segura e sem impacto para o meio ambiente.
Os televisores de LED também atendem às normas Energy Star, pois possuem um nível baixíssimo de consumo de energia de até 40% menor do que as TVs de LCD do mesmo tamanho. O que é muito bom pro nosso bolso.

AS MELHORES TVS DE LED

 


A Samsung UN55B8000 é a primeira da lista por possuir 1,2 centímetros de espessura e apresenta uma jóia como a borda transparente. Ela também possuí mais entradas HDMI e mais entradas de acesso de sinal.

 

 

 

 

 

 

 




A Marca que ocupa a segunda posição é a LG 55LH90. Ela possui um ótimo recurso chamado Intelligent Sensor, que calibra automaticamente a imagem da televisão, de acordo com a iluminação da sala. Tem uma moldura em preto brilhante, com sua borda transparente.

A terceira posição fica com a Sony BRAVIA XBR8. Este modelo não tem as mesmas funcionalidades como a Samsung ou a LG mais a Sony deu mais atenção para a parte interna da TV. O recurso aqui é a tecnologia LED é a XBR8, apelidado Triluminos. Montado atrás do painel LCD são 128 clusters de LED. Ao contrário das luzes brancas nos outros televisores de LED, cada cluster no XBR8 contém uma luz vermelha, duas verdes e uma luz azul, as cores de base que se encaixam diretamente a retina do olho. O resultado é uma iluminação local dimming, que produz as cores mais puras mais realistas e atraentes que qualquer aparelho de televisão pode oferecer.



TV DE LCD

Vamos entender então como funciona o processo de uma TV de LCD.

A TV de LCD funciona com a base sendo de um material de cristal líquido, que transmite uma imagem mais translúcida ou opaca dependendo da corrente elétrica aplicada sobre ele. Cada ponto na tela é formado por três células lacradas cheias desse material e cada célula corresponde a uma cor primária de luz (verde, vermelha e azul). Uma lâmpada que gera luz branca é instalada atrás da tela e ilumina as células tornando a imagem visível. As cores são formadas dessa forma e assim combinam múltiplas intensidades de cada uma das cores primárias.
A TV de LCD é feita através de dois painéis transparentes que são polarizados e colados na parte interior da TV. Um dos dois painéis é revestido com um polímero especial que contém os cristais líquidos, que podem variar dependendo do modelo de TV de LCD que os disponibiliza.

QUAIS SÃO AS VANTAGENS DA TV DE LCD?

Vejamos agora os reais benefícios de possuir uma TV de LCD, e porque representam uma melhor decisão de compra do que os televisores de Plasma.

Vantagens da
TV de LCD são:

          As TVs de LCD já são mais indicadas pra salas iluminadas, isso significa que você pode assistir ao seu programa com uma janela atrás da sua TV que você não verá nenhum reflexo na imagem, diferente da de plasma. Também são indicadas pra quem vai ligar o PC nela ou jogar aqueles games mais parados, como os de antigamente, pois imagens estáticas costumavam manchar as TVs de plasma mais antigas. Você também pode encontrar LCDs disponíveis em tamanhos menores, o que é difícil encontrar nos modelos de plasma.
Elas tem maiores níveis de brilho. A TV de LCD é mais fácil de assistir do que as TVs de Plasma, porque elas têm uma capacidade maior de luminosidade. Isso significa que as cores são mais nítidas e tem uma qualidade de imagem mais ousada e mais brilhante do que outras tecnologias.
Ao contrário de algumas
TVs de Plasma de alta resolução e outros dispositivos, a TV de LCD vêm equipada com sintonizadores de dentro da unidade. Então tudo que você precisa fazer é conectá-la e desfrutar do espetáculo.
     Multi-funcionalidade: Uma das coisas mais legais sobre a TV de LCD é que elas podem ser usadas ​​para uma variedade de efeitos diferentes, como estes a seguir:
Conecte sua câmera digital na
TV
e ela vai entregar uma experiência cinematográfica inigualável sobre as imagens.
Por causa da qualidade dos gráficos afiados a
TV de LCD
tem um olhar super nítido dos arquivos de texto e imagem da web.
A maioria das
TVs de LCD são HDTV. Especialmente quando se utiliza um BluRay DVD ou TV a Cabo.

AS MELHORES TVS DE LCD



Na primeira colocação fica uma inovadora TV de LCD da Sony. A Sony Bravia LCD HDTV Series. Ela tem um HD com suporte para até 1080px, relação de contraste dinâmico 30000:1, SRS Tru Surround XT, um grau de ângulo de visão de -178gº, as configurações de economia de energia são complexas, por não ter consumo alto, pois ela recorre à própria iluminação do local através do cristal liquido.




Na Segunda posição temos a Samsung Série 7 HDTV de LCD que oferece incríveis recursos por um preço modesto. Ela tem resolução HD 1080px, um raio de contraste dinâmico. Uma taxa de atualização de 240 Hz para aumentar a qualidade das imagens em movimento, som SRS Tru Surround HD, modo de jogo, conectividade com a Internet e USB 2.0 e opções de conexão DLNA





A Terceira posição vai para uma marca dos ambientalmente corretos a Vizio VOJ320F 32 LCD HDTV é um dos melhores televisores para os ambientalmente corretos. Ela possui resolução Full HD de até 1080px, SRS Tru Surround XT, um ângulo de visão de 178 graus, uma cor de moldura Java e Built-in e sincronizadores digitais e analógicos.






TVS DE PLASMA

Atualmente, a concorrência por televisores é bem grande, e por isso, todos os tipos de TV evoluíram. A TV de Plasma embora tenha ficado um pouco para trás neste aspecto, ainda tem alguns encantos.
Nas tvs de plasma a tela opera com células cheias de gás nobre,  assim como o neônio ou xenônio, que sofre uma descarga elétrica e se transforma em plasma.  Esse processo todo libera fóton (luz) e se colidem com uma camada de fósforo na frente dessas células que as fazem brilhar. Cada ponto de imagem é composto por 3 células e cada uma delas coberta com fósforo de cor diferente (verde, vermelho e azul).
A combinação dessas 3 cores diferentes em intensidades variadas gera os tons necessários  para produzir a imagem. E pelo simples fato de cada célula produzir sua própria luz, não existe a necessidade de nenhuma luz pra iluminar nossa tela.
A TV de Plasma corresponde a uma camada com mais de 12 mil cores, também tem um bom sensor de movimentação admirado por todos, pois tem velocidade de movimento de 100Hz. Há também identificadores de movimento de 200Hz. A TV de Plasma hoje é recomendada para quem gosta de Video Games e Esporte por ter benefícios de velocidade. Mais uma característica ruim é que ela não tem cristais líquidos o que faz com que ela gaste mais energia.
As tvs de plasma são mais indicadas pra ambientes escuros devido à fidelidade de cores e maior contraste, o que é muito bom pra quem gosta de cinema, pois oferecem cores mais vivas e não depende de luz pra que isso ocorra, ou seja, elas têm uma qualidade de imagem muito boa.
 Além disso, as TVs de plasma são super indicadas pra ambientes amplos, pois são muito mais fáceis e mais baratas de serem produzidas em tamanhos maiores. Não é a toa que vemos por aí um monte de TV de plasma gigantes nas vitrines da lojas.


AS MELHORES TVS DE PLASMA


Quando se trata de TV de Plasma, a melhor do mercado é a Panasonic VT25. Ela tem 1080px de resolução. A relação de aspecto da televisão é 16×09 e reconhece reproduções em Full HD. Ela inclui quatro saídas HDMI, 2 entradas de vídeo de console e duas saídas de áudio, bem como duas portas USB. A Panasonic VT25 também inclui o novo Infinite Black Pro A tecnologia do painel, oferecendo pretos profundos, independentemente das condições do ambiente.



A Samsung série PNC7000 não é tão boa quanto à da Panasonic, porém tem alguns atributos bons. A televisão é compatível tanto com reprodutores Full HD de alta resolução como também Blu-Rays normais. Ela também trás um contraste de cores mais rígido em relação às outras TVs.







A Pioneer PDP-6020D ocupa a terceira posição por  oferecer uma televisão com um sistema exclusivo, a Pioneer Home Media Gallery, que desempenha  músicas, vídeos ou fotos em uma unidade flash USB ou de rede de computadores. A televisão também se protege da queimadura da imagem com a função orbiter do pixel, o que desloca a imagem ligeiramente. Muito boa para reprodução de Filmes.




Vale a pena ressaltar que existem componentes que podem ser muito úteis, independentemente de qual TV você compre como aparelhos de BluRay na hora de assistir um filme, cabo HDMI, que dá uma grande ajuda na qualidade da imagem, um Home Theater pra assistir aquele show e etc.
São várias as opções pra você ficar muito feliz com a sua escolha, o importante é que você realmente saiba o que necessário e importante pra você ficar satisfeito (a).
Abaixo tabela de Tv para o tamanho do ambiente.





domingo, 3 de abril de 2011

ESTILO DE DECORAÇÃO

ESTILOS DE MOBILIÁRIO E DECORAÇÃO

O estilo de mobiliário apresenta tendências diversificadas. Algumas evocam e reproduzem o passado, outras se identificam com temas específicos e reproduzem ambientes temáticos.
Certas tendências buscam inspiração em outras culturas. Temos também o estilo integrado à natureza. O estilo moderno contemporâneo apresenta uma maior leveza visual.
Na hora de decorar é bom conhecer um pouco sobre a história do mobiliário. Muitas peças apresentadas com uma releitura dão um ar de sofisticação ao ambiente.

ESTILO PROVENÇAL:

O estilo Provençal, advindo do savoir-faire, mobiliário romântico que veio da França no século XVII, móveis com estrutura leves e delicadas que trocam o luxo pela sofisticação sem excessos, que nos dias de hoje tornaram-se objetos de luxo. Pátinas especiais e estêncil tomaram o lugar das folhações douradas. Tramas de palhas substituíram o glamour das forrações luxuosas da corte.
O estilo marcou a região francesa séculos atrás e tinha como pré-requisito o conforto. Na Provence, região ao sul da França, cada peça tem sua história. Como o luxo da corte era inacessível aos moradores do campo, eles fizeram uma releitura do mobiliário que chegava no porto de Marseille, sul da França.
Na época, os nobres franceses passavam suas férias no campo e durante a temporada se desfaziam de seus móveis e objetos velhos. Assim, o mobiliário era recuperado pelos camponeses. O artesanal, o rústico e os tecidos naturais marcam esse estilo romântico e delicado.


ESTILO GUSTAVIANO:

Inspirado no neoclássico Francês, o estilo traduz os desejos de um jovem rei, Gustavo III, de recriar o brilho dos salões de Versalhes na sua corte sueca. O trabalho foi realizado por decoradores e artesãos, adaptando materiais às condições financeiras e climáticas da Suécia do século XVIII. Assim surgiu o refinado e agradável estilo Gustaviano, empregando madeiras maciças, esculpidas e douradas, panos de linho decorados com arabescos florais, gregos ou simples filetes, tecidos de algodão listrado, estuques leitosos, piso de madeira nua. As cores que marcam este estilo são o azul celeste e o rosa pálido. Elegante e despojado, este ambiente reproduz as cores claras, na madeira e nos tecidos de algodão, e as formas confortáveis do gustaviano. Garantia de leveza e neutralidade que não deixa de atrair adeptos.   




ESTILO CLÁSSICO:

Os móveis clássicos são produzidos artesanalmente e são fiéis aos móveis do passado. Alguns são produzidos em madeira maciça e tem detalhes em bronze dourado. Normalmente os móveis clássicos ostentam linhas arredondadas. Sofás e poltronas tem almofadas soltas e volumosas.


ESTILO CLÁSSICO MODERNO:

O estilo Art Déco criado por arquitetos e designers da primeira metade do século XX é um exemplo de clássico moderno.
Os maiores expoentes do clássico moderno são os designers Charles Eames, Ray Eames, Eero Saarinen, Verner Panton, Pierre Paulin, Arne Jacobsen, Jorge Ferrari, Ludwig Mies van der Rohe, Harry Bertoia, Peter Ghyczy, Pietro Arosio, Lê Corbusier, Eero Aarnio, Eileen Gray, Vladimir Kagan, George Nelson, Florence Knoll, Antoni Boneti, Marcel Breuer.
Nos anos 50, o mobiliário ganha formas orgânicas. Designers como José Zanine Caldas, Lina Bo Bardi e Joaquim Tenreiro utilizam couro, lonita, palhinha e madeira. Um símbolo forte do mobiliário da época é o pé palito, o qual valoriza o corpo do móvel ao sustentá-lo com leveza. Os contornos são suaves e os tons sóbrios.
Os anos 60 são revolucionários no comportamento, na decoração, na música, na moda. É a década da conquista do espaço sideral. Novas cores e formas sinuosas são lançadas. Criações irreverentes surgem, é o início do consumismo. Designers como Verner Panton e Vico Magistretti criam móveis de plástico com cores atraentes. Ficção científica e psicodelismo inspiram o modo de viver. Os pufes deixam as pessoas a vontade.
Nos anos 70 o surgimento da alta tecnologia se traduz em móveis de acrílico translúcido, plástico de cores vibrantes e metais brilhantes. Peças modulares tornam-se um sucesso. No final da década, a decoração apresenta aspectos tecnológicos.

ESTILO ART NOUVEAU:

Este estilo, também conhecido como liberty e jugendistil, surgiu com o inglês Willians Morris, que deu início ao movimento arts and crafts (arte e ofício). As peças eram produzidas em ferro, aço, vidro, e madeira; de espessuras finas. Nos móveis, entalhes, linhas assimétricas e sinuosas, inspiradas nas formas da natureza, e incrustações. Como motivos prevalecem as flores, como o lírio e a tulipa e as borboletas. Desse período vêm os cristais do francês René Lalique, com flores, libélulas e formas femininas.

ESTILO COUNTRY:

O mobiliário desta tendência é marcado por linhas mais sinuosas e pelo bom acabamento da madeira. Acompanha o estilo de móveis do passado (country inglês, americano), estofado ou não. O revestimento pode ser em tecido xadrez ou estamparia delicada e miúda. O piso pode ser em madeira ou cerâmica. Na parede pode-se usar lambris de madeira ou pintura comum. Pelas em bronze, cobre, madeira pintada, gravuras far West, ferro, plantas desidratadas, naturais ou artificiais, luminárias e tapeçaria rústicas compõem este ambiente.


ESTILO SHABBY-CHIC:

SHABBY do inglês “gasto”, “surrado”, mas este estilo não tem nada de pobre, pois une simplicidade e conforto com materiais e objetos rústicos. Essa tendência surgiu nos Estados Unidos, derivado do estilo country do americano ser. As principais características deste estilo são as paredes descascadas, objetos envelhecidos ou antigos, capas nos estofados e cadeiras, além da pátina especial, descascando os móveis e objetos.



 ESTILO RÚSTICO CAMPESTRE:

Móveis envelhecidos artificialmente, patinados, com furos, raspados. Lembram o estilo de vida campestre de um passado não muito distante.


ESTILO ÉTNICO:

Móveis inspirados em outros povos, com traços culturais destes. As culturas mais representadas são de países do Extremo Oriente como Indonésia, Tailândia, Nepal, Tibete, China, Japão, Índia e também do México. Os povos destes países abusam da cor, dos detalhes, do requinte.



ESTILO MODERNO CONTEMPORÂNEO:

Este estilo, com todas as suas tendências oferece móveis para todo tipo de ambiente, em residências, imóveis comerciais e escritórios. A tecnologia empregada é sempre ressaltada. O visual é sempre leve, com a mínima complexidade, com pouco material, valorizando textura e acabamento. São empregados novos materiais e tecnologias como fibra de carbono, poliuretano expandido e vidros de diversas cores e espessuras. São reproduzidas idéias realmente inovadoras que extraem as máximas possibilidades dos materiais.
 Em muitas casas contemporâneas, as separações entre ambientes são mais fluidas e discretas, a circulação é mais livre. A maioria dos móveis apresenta linhas retas, mas, muitos arquitetos e designers de interiores mesclam em um mesmo ambiente móveis contemporâneos retilíneos com alguns móveis antigos para dar às peças do passado um uso atual.
 No estilo moderno contemporâneo, alguns móveis apresentam um toque irreverente, são fabricados em plásticos coloridos e são destinados à infância e à juventude.
Outra vertente do estilo moderno mostra móveis produzidos com materiais inusitados como mangueiras, fiapos de tecido, os quais demandam muita mão de obra na produção. Os designers mais representativos desta tendência são os irmãos Campana.
 Para o século XXI, a tendência é buscar mais conforto e bem estar. São usados grandes painéis de vidro para aproveitar ao máximo a luz natural e aproximar os moradores da natureza. O pé direito alto dá uma sensação de amplidão e liberdade. Na decoração são usados tanto a tecnologia de ponta quanto o rústico. As poltronas são projetadas com formas ergonômicas de última geração. O conforto é tal que sentar-se nelas é um prazer. A casa moderna proporciona aos moradores as sensações mais agradáveis possíveis.
ESTILO ECOLÓGICO NATURAL:

Móveis de madeira natural com acabamentos como cera e óleos perfumados. Outros são de metal enferrujado. A produção é toda artesanal. É um estilo que sugere uma vida mais próxima à natureza, é avesso a modismos.




ESTILO FASHION:

Segue as mudanças e tendências da moda, procura estar na vanguarda. Um móvel fashion será descartável em dois anos. Os preços são altíssimos, não condizem com a qualidade mediana. É a grife do mobiliário.




ESTILO ECLÉTICO:

Mescla estilos e materiais, com elegância e sofisticação.




TOALHA ANTIFORMIGA??


Esses pequenos insetos insistem em nos atrapalhar nas refeições. A Toalha de Mesa Anti-formiga Belline da Karsten, promete acabar com esse incômodo. Essa toalha de mesa traz uma super inovação, o acabamento anti-formiga, que repele insetos e, principalmente, as formigas. As peças vêm com uma substância inseticida que não faz mal à nossa saúde, nem ao meio ambiente. Resiste até 30 lavagens sem cloro.

domingo, 20 de março de 2011

A Pele e o Sol

Depois de um verão de muito sol e calor a mudança de estação (outono) traz temperaturas mais amenas, notadamente ao amanhecer e à noite. Assim como o ciclo da natureza, nosso corpo passa a ter outras necessidades e outro metabolismo. Passamos a dormir melhor, a tomar banho com uma temperatura mais elevada e uma sopa em dias mais frios, para quem gosta, é um prazer.
Mas não é porque o clima fica mais agradável que podemos descuidar. Antes de sair no sol, devemos continuar com os mesmos cuidados de sempre:


 
ü  Use o óculos de Sol, seus olhos agradecem!

ü  Nunca esqueça do protetor solar;

CURIOSIDADE:

Nova tecnologia: roupas com FPU 50+

A Austrália tornou-se o primeiro país a ter uma regulamentação formalizando as exigências em roupas de proteção UV. O teste utilizado para avaliá-las e classificá-las, realizado pela Agência Australiana de Proteção à Radiação e Segurança Nuclear é universalmente adotado.
Esta regulamentação usa o termo Fator de Proteção Ultravioleta (FPU) para designar a quantidade de proteção, até a máxima proteção de FPU 50+.
O índice de FPU indica o quanto a radiação ultravioleta (RUV) é absorvida pelo tecido. Por exemplo, um tecido com FPU de 50 permite que somente 1/50 da radiação que atinge a superfície do tecido, passe através dele. Isso significa que o tecido denominado FPU 50+ reduz a exposição da RUV sobre a pele em 20 vezes ou que absorve 98% dela quando utilizado.

Ao contrário das roupas comuns, nas quais as cores claras bloqueiam menos a RUV do que as cores escuras, nos tecidos com FPU o bloqueio da RUV independe da cor do tecido, obtendo sempre o fator de proteção indicado na etiqueta.
São muito variadas as opções de peças com proteção UV, que vão de luvas, sombrinhas, chapéus, calças, blusas, linha praia, um guarda-roupa inteiro de opções para todas as estações do ano.

Já aderi a essa idéia!!!!